segunda-feira, 20 de junho de 2022

Presos se revoltam com internos que faziam sexo dentro de cela e realizam motim em presídio de Bacabal

Presídio de Bacabal.
Sete detentos que participaram de um motim, nesse domingo (19), e tentaram matar outros dois internos na Unidade Prisional de Bacabal tiveram a prisão preventiva decretada. De acordo com a Polícia Civil, um grupo de internos tentou assassinar outros dois que teriam relações sexuais homoafetivas dentro de uma das celas do presídio. 

Inicialmente, segundo informações policiais, os internos utilizaram barras de ferro para tentar matar as vítimas. Eles também usaram colchões e blocos de concreto nas bases das camas das celas para imprensar as vítimas e asfixiá-las contra as grades do Pavilhão B do presídio. Diante da quantidade de concreto que pressionavam os corpos das vítimas, o Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados. 

Os bombeiros cortaram algumas barras das grades que dão acesso à saída do pavilhão para que pudessem salvar a vida dos dois internos. Como não conseguiu concretizar o crime, o grupo iniciou uma rebelião na UPR, que foi contida pela polícia penal. Ontem, o comando da Polícia Militar do Maranhão informou que a rebelião foi causada por insatisfação dos detentos com a situação da unidade prisional e com o diretor da casa.

Todos os responsáveis pelos crimes - tentativa de duplo homicídio qualificado por motivo torpe, racismo por orientação sexual e identidade de gênero, motim de presos e associação criminosa - foram identificados e encaminhados à Delegacia Regional de Bacabal. O procedimento foi encerrado  às 5h desta segunda-feira (20).

Do Imirante.

2 comentários:

  1. Nao deixaram flavio dino fazer o motel tai kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se quer transar, basta não ser preso.

      Excluir