quinta-feira, 3 de maio de 2018

Um ano sem o Sargento Carlos Magno...

Sargento Carlos Magno.
1 ano que segurei na sua mão pela última vez, que lhe dei o último beijo, e que disse "Bênção, pai! Fique com Deus". 03/05/17 Um dos dias que jurei nunca te esquecer, e continuar a sua linda trajetória aqui na terra, mas não é fácil, porque você era um grande homem, e quem sou eu?! Pai, o senhor foi a minha história, minha eterna admiração. Eu sei que daí de cima tá cuidando da gente, porque você nunca irá nos deixar (reveja aqui e aqui).

Eu me perguntava muito "Por que Deus?" Mas, agora eu sei o motivo! Grandes homens têm que continuar outras histórias. É tipo um filme, você é o herói. Nos ajudou, nos protegeu e nos amou como só você podia amar e ajudar. Depois que concluiu essa "missão" teve que cuidar, amar e olhar a gente daí de cima, pra ver se aprendemos. E agora você ta feliz, porque sua missão com a nossa família foi concluída com êxito. 

Eu agradeço Deus por ter o melhor pai, o meu herói de "farda", o grande STG MAGNO, onde protegeu todos de uma cidade pequena e muitos não os dava o verdadeiro valor. Mas o que vale mesmo é que ele foi um verdadeiro herói não só pra minha família, e os justos sabem que isso é verdade. 

Lutou o que tinha pra lutar, e não desistiu um segundo. Nunca reclamou de nada, e não falava que sentia dores, pra passar pra gente confiança. Esse homem me encheu de orgulho até o último suspiro dele. Mas é inevitável não sentir saudades, de não chorar, de não gritar. Só quero agradecer a Deus pela oportunidade de ter um pai tão amigo, tão presente e companheiro. A nossa família foi linda com você, e nunca irá perder a essência que o senhor deixou. 

Na minha memória e no meu coração você sempre terá aquele espaço enorme onde só cabe o senhor, mamãe, meus irmãos e meu sobrinho. 

"Pai, você foi meu herói, meu bandido, hoje é mais muito mais que um amigo. Nem você, nem ninguém tá sozinho, você faz parte desse caminho, que hoje eu sigo em paz."

E toda vez que via um erro meu é no seu colo que me consolava, a maior herança que você me deu não é diamante, nem ouro, nem prata. É sua história e tudo que escreveu, é a verdade da sua risada. Mesmo afastados pelo dom que Deus nos deu, ô Pai, vai na frente que eu tô na mesma estrada.

Por Iana Eduarda Monteiro Costa.

2 comentários:

  1. Sebastião Uchoa3 de maio de 2018 17:38

    Linda homenagem!!!
    Eles não partem, apenas se transportam para nós aguardar noutras dimensões!!

    ResponderExcluir
  2. Linda homenagem.Pode ter certeza que ele esta a olhar por vocês.

    ResponderExcluir